terça-feira, 29 de abril de 2014

Sushi fingido :)

Ando sempre à procura de novas sugestões de refeições que sejam saudáveis, mas que alimentem o corpo e a mente, porque os olhos também comem e eu sou menina de alimento! :)

O jantar de hoje surgiu assim e é uma refeição bastante leve e fresca que já dá vontade de comer com o tempo a aquecer.

É muito simples de fazer e a mim, matou-me o desejo de comer sushi :D 

Ora, então, vamos à receita... ou melhor, ao DIY que de receita, isto tem pouco! 

Ingredientes:
1 courgete + 1 CS de queijo-creme magro + 1 lata de atum em água (bem escorrida) + 1/4 de abacate + 1/8 de pimento vermelho (era grande) + coentros a gosto - Serve 1

Preparação:
Fatiar, finamente, uma courgete longitudinalmente e grelhar. 
Misturar uma lata de atum com uma colher de sopa de queijo-creme e reservar. 
Depois de grelhada a curgete, numa das pontas colocar a mistura de atum e queijo, dispor uma fatia de abacate, de pimento e os coentros. 
Enrolar a courgete até terminar.
Repetir o procedimento até formar todos os rolos.


Mais fácil, não há! :)

Os ingredientes ficam ao vosso gosto e critério. Na próxima vez, irei usar lombo de salmão e cebolinho (em substituição do atum e dos coentros), tenho a certeza que também fica muito bom!

Experimentem! Não se vão arrepender! :)

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Crepes de polvilho doce

Antes de mais, o que é o polvilho?!

O polvilho é uma farinha (isenta de glúten), a qual é obtida da mandioca (é uma raiz e fonte de fibras) que, consoante o seu grau de acidez, pode ser classificada como doce ou azeda.

Eu uso sempre a versão doce - polvilho doce - nem nunca experimentei a outra, mas do que tenho lido é mais adequada para outras receitas, tais como o pão de queijo.

Compro no supermercado e está junto às restantes farinhas. 

Quanto à receita... bem, na realidade são várias. Consigo sempre fazer variações, consoante pretenda uma refeição mais doce ou salgada, por isso esta receita, com a guarnição correcta pode servir para uma refeição mais leve ou até para uma sobremesa ;)

No entanto, a base da receita é sempre a mesma: 1 ovo + 1 CS bem cheia de polvilho doce + 1/2 cc de fermento. 

Depois, a imaginação é o limite: Se quiser mais doce, junto à massa, uma colher de chá de canela ou de cacau cru em pó, se me apetecer mais salgada, coloco uma pitada de sal, pimenta ou orégãos.

Consoante o recheio que vou fazer, também gosto de enriquecer a massa, por vezes com 1/2 colher de sopa de chia ou igual quantidade de linhaça (para a versão doce e salgada, respectivamente).

Deixo-vos várias sugestões que já fiz, todas igualmente saborosas! Mas como é óbvio, a vossa preferência será ditada pelo vosso gosto pessoal :)

As versões doces:
Crepe de polvilho doce recheado com manteiga de amendoim, banana caramelizada e canela
Esta é uma versão doce, como tal, à receita base da massa, acrescentei uma colher de chá de canela. Depois foi só barrar com manteiga de amendoim, juntar banana caramelizada na frigideira anti-aderente e polvilhar com canela.
Crepe de polvilho doce recheado com manteiga de avelã e cacau, morangos e cacau cru em pó
Nesta versão, à receita base da massa, acrescentei uma colher de chá de cacau cru. Depois barrei com manteiga de avelã e cacau, juntei morangos fatiados e polvilhei com cacau cru em pó.


As versões salgadas:
Crepe de polvilho doce recheado com queijo fresco magro e fiambre de peru
Esta é uma versão salgada, como tal, à receita base da massa, acrescentei uma pitada de sal, pimenta de moinho e orégãos, bem como juntei 1/2 colher de sopa de chia. Coloquei 2 fatias de fiambre de peru e, entre elas, o queijo fresco magro fatiado.
Crepe de polvilho doce recheado com tomate e mozarela com orégãos
Nesta versão, à receita base da massa, acrescentei uma pitada de sal, orégãos e juntei 1/2 colher de sopa de linhaça moída. Coloquei 1/4 de tomate e igual quantidade da bola de mozarela, ambos fatiados, juntei mais orégãos e levei à tostadeira até derreter o queijo.

NOTAS: 

1) Uso sempre uma frigideira anti-aderente para fazer as panquecas, por isso não tenho necessidade de colocar gordura para as confeccionar - se tiverem de usar, coloquem uma pinga de óleo de coco ou de azeite e espalhem-na bem na frigideira, usando papel absorvente de cozinha;

2) Todas as manteigas de oleaginosas  usadas nas minhas receitas são caseiras, pelo que não têm quaisquer aditivos;

3) Tenham atenção às proporções usadas nos recheios... há ingredientes que, pese embora os seus benefícios, são calóricos e, como tal, se consumidos em excesso, não há benefícios que os valham, por isso, não vale colocar o frasco todo da manteiga de amendoim, nem uma bola inteira de mozarela nos crepes :) 

Espero que gostem destas sugestões! :)

Lentilhas estufadas com cogumelos!

Ontem fiz, pela primeira vez, lentilhas.... e posso afirmar que, foi amor à primeira garfada! :)

Já há algum tempo que elas andavam na minha dispensa, à espera de serem usadas. Ontem de manhã quando fui à dispensa buscar a farinha de polvilho, olhei para elas (e elas para mim) e pensei que era naquele dia que as ia usar.

Deixei-as ficar de molho, para estarem prontas a cozinhar ao jantar.

Já tinha visto várias receitas de lentilhas pela internet, mas foi esta que me fez brilhar os olhos e comprar as ditas,  por isso, tratei de adaptar a receita ao meu gosto (e à dispensa e ao frigorífico) e introduzir-lhe algumas alterações.

Para a receita vão precisar apenas de: 1 cebola + 3 dentes de alho + 1 CS de azeite + 1/2 lata de tomate picado (se quiserem, substituam por 2 ou 3 tomates maduros, partidos aos cubos) + 1 cenoura + 1/2 pimento vermelho + 1 alho francês pequeno + 1/2 chávena de lentilhas (demolhadas) + 1 chávena de água 1/2 chávena de cogumelos fatiados + sal e pimenta caiena, a gosto + 1 cc (bem cheia) de garam massala e 1 cc de caril + coentros frescos - Serve 2 ou 3 (consoante, façam ou não acompanhamento para a refeição).

Picar a cebola e os dentes de alho e refogá-los em azeite, até a cebola estar translúcida.
Juntar as especiarias até estarem envolvidas e adicionar o tomate. Deixar estufar até o tomate estar desfeito. De seguida, juntar os legumes cortados, a água e deixar cozinhar, com a tampa fechada, cerca de 5 minutos. 
Adicionar as lentilhas e os coentros e deixar cozinhar, à volta de 10 minutos, com o tacho fechado - de vez em quando, convém irem mexendo!
Rectifiquem os temperos e, se necessário, juntem mais água.
Juntar os cogumelos até estarem cozinhados.
Polvilhar com mais coentros picados e servir!

Lentilhas estufadas com cogumelos
Confesso que não estava à espera que fosse gostar tanto. Não sei foi a mistura de sabores ou a própria textura da refeição, apenas sei que foi amor!!! :)

Para quem quer evitar a proteína animal, aconselho vivamente a que passem neste blogue. O difícil é escolher o que fazer! :)

Quem quiser ver os benefícios das lentilhas, espreitem aqui!

NOTA:

A minha chávena de medida, em todas as receitas, é sempre de 240ml (podem ver qual é, na receita da nutella aqui) - neste caso, usei a medida de 1/2 chávena que corresponde a 120ml;

terça-feira, 22 de abril de 2014

Ervilhas com ovos escalfados!

Finalmente, sai a receita das benditas ervilhas com ovos escalfados!!! :) Tardou, mas não falhou!

Ora, indo directa ao assunto, para a receita vão precisar apenas de:

Ingredientes:
  • 1 cebola;
  • 3 dentes de alho;
  • 1 colher de sopa de azeite (opcional);
  • Vinho branco q.b.;
  • 1/2 lata de tomate picado (se quiserem, substituam por 2 ou 3 tomates, partidos aos cubos);
  • 400 grs de ervilhas (uso das congeladas);
  • 1 ou 2 ovos por pessoa;
  • Sal, pimenta 5 bagas, pimenta caiene, alho em pó e coentros frescos, a gosto.
Serve 2.

Preparação:

Picar a cebola e os dentes de alho. Colocá-los num tacho com o tomate triturado, o azeite e deixar estufar durante 5 minutos, em lume baixo.

Juntar o vinho branco e deixar apurar.

Colocar as ervilhas, a água (quase, até tapar), os temperos e os coentros e deixar cozinhar. Se necessário, juntar mais água. Rectificar os temperos (tenham atenção se forem juntar mais coentros, para não ficar apurado).

Partir os ovos sobre as ervilhas, tapar o tacho e deixar cozinhar até os ovos estarem no ponto que gostam.

Polvilhar com mais coentros picados e estão prontas a servir!

Fácil e do mais saudável que há!

Ervilhas com ovos escalfados
Se quiserem reforçar a refeição, podem juntar cogumelos ou peito (ou bifes) de frango ou de peru (o que é importante é ser uma fonte de proteína magra) ou até substituir os ovos por estes ingredientes. 

Se não tiverem qualquer restrição aos hidratos de carbono, acompanhem com um arroz basmati, para mim, é a combinação perfeita :)

Ervilhas com peito de frango, ovo escalfado e arroz basmati
Espero que gostem desta sugestão... eu simplesmente amo ervilhas com ovos! :) E feitas desta forma, são uma excelente alternativa às ervilhas tradicionais!

NOTA: Eu uso e abuso dos coentros, adoro o sabor e acho que só beneficia esta refeição!

Eu não fugi...

Mas o tempo tem sido escasso para vir aqui publicar com a mesma frequência... entre trabalho, treinos, dona de casa, namorar, conviver com os amigos e fins-de-semana grandes que pedem passeios, às vezes não é fácil conjugar tudo! :)

E com a página do facebook acaba por se tornar mais prático partilhar as refeições e as imagens do momento ;)

Sei que estou em falta com a receita das ervilhas com ovos escalfados que prometi e com as refeições em imagens!

Vou tentar atualizar tudo hoje à noite!!! :)

Beijinhos

quarta-feira, 16 de abril de 2014

As sementes #1

Costumo usar na minha alimentação, frequentemente, diversas sementes, tais como linhaça, chia, sésamo, papoila, abóbora e de girassol. 

Cada uma destas sementes que indico têm propriedade específicas, pelo que, devem ser utilizadas consoante as nossas necessidades.

Uso-as de diversas formas, de acordo com a semente em causa (seja nos iogurtes, nas saladas, nos batidos, nos pequenos-almoços, nos pães, nos patês ou até reduzidas a farinha para panar peixe e carne!).

Hoje comprei sementes de cânhamo para juntar ao leque das que já consumo, pelo que abro as hostilidades da nova rubrica, com as propriedade e os benefícios de as consumirmos.

Sementes de cânhamo descascadas
As sementes de cânhamo têm um perfil nutricional impressionante, sendo um excelente complemento à dieta diária: são uma óptima fonte de proteínas de origem vegetal de elevada qualidade, ácidos gordos essenciais insaturados, fibra dietética, antioxidantes e um leque de vitaminas e minerais.

As sementes de cânhamo são uma das maiores fontes de ácidos gordos essenciais (ómega 3, 6 e 9), sendo que estes se encontram no equilíbrio perfeito, de 3:1, para o nosso organismo. 

Estes ácidos gordos não podem ser produzidos pelo corpo humano e devem ser fornecidos através da alimentação, sendo imprescindíveis para um organismo saudável. 

São uma fonte rica em proteínas e contêm todos os oito aminoácidos essenciais e são facilmente digeríveis e assimiladas pelo corpo humano, sendo composta por dois tipos principais de proteína: edestina (65%) e albumina (35%).
A proteína de cânhamo contém todos os 20 aminoácidos conhecidos - incluindo os essenciais - porque o corpo humano não os consegue produzir por si só, devendo ser incluídos na alimentação.
São ricas em fibras dietéticas, ajudando a manter o sistema digestivo saudável e facilitam o trânsito intestinal, sendo compostas, primariamente, por fibras insolúveis.
Contêm também antioxidantes e minerais, especialmente magnésio, ferro, cálcio e sódio e, em menores quantidades têm fósforo, zinco, cobre e manganésio.
Como benefícios destacam-se:
  • Reforço do sistema imunitário;
  • Equilíbrio nervoso;
  • Promoção da saúde do cabelo e da pele;
  • Propriedade anti-inflamatórias;
  • Prevenção do envelhecimento prematuro;
  • Redução do mau colesterol;
  • Promoção da saúde cardiovascular;
  • Ajuda na prevenção da osteoporose;
  • Queimar o excesso de gordura;
  • Saúde e oxigenação do sangue.
Fonte: aqui


Como em tudo na nossa vida, o equilíbrio é essencial, por isso, usem apenas as quantidades recomendadas. E não se esqueçam que o consumo de fibras tem de ser acompanhado por um consumo de água adequado!

NOTA: 
Tenho uma receita a marinar para estas sementes... crackers! Espero no fim-de-semana, conseguir pô-la em prática! :)

domingo, 13 de abril de 2014

O 1.º passatempo deste blogue!!!

Chegados aos 1.500 seguidores na página do facebook, está na altura deste cantinho lançar o seu primeiro sorteio, conforme anunciado! :)

Ora bem, o prémio é um mini-cabaz de manteiga de amendoim, de amêndoa e de avelã com cacau, vulgo, nutella, tudo feito com muito amor e carinho :)

O passatempo começa às 21:30 do dia 13 de Abril e terminará às 00:00 do dia 19 de Abril de 2014.

Os vencedores serão escolhidos aleatoriamente através do site Random.org e anunciados aqui no Domingo de Páscoa, dia 20 de Abril.

Para se habilitarem, é necessário:

1) Serem seguidores do blogue http://saudavelcomoumpero.blogspot.pt/
2) Gostarem da página do facebook https://www.facebook.com/saudavelcomoumpero
3) Partilharem a publicação do facebook alusiva ao sorteio (aqui) - a qual tem de ser "pública" para a conseguir visualizar;
4) E, por fim, preencher este formulário:
Boa sorte!!! :)

Brownies de chocolate (sem glúten, sem lactose e sem açúcar)

Depois da busca por pães sem glúten, percebi que o caminho para os bolos, era idêntico :)

Ontem de manhã, fiz leite de avelã - encontram a receita aqui, é só substituir as amêndoas por avelãs - e lembrei-me de aproveitar a polpa que sobrou para o brownie que ia fazer para um jantar de amigos.

Levei-a ao forno a 180.º até secar e fiz farinha de avelã, a qual aproveitei para esta receita.

Assim, para a receita vão precisar apenas de: 1 chávena de farinha de avelã (ou de amêndoa reduzida a farinha) + 1 pitada de sal + 1/2 cc de bicarbonato de sódio ou fermento + 125g de chocolate com + de 70% de cacau (usei com 81% de cacau) + 1/4 chávena de mel + 1 abacate + 3 ovos XL + 2 CS de óleo de coco - Serve 8 médios.

Forrar uma forma quadrada de 20x20cm com papel vegetal. 

Pré-aquecer o forno a 180.º.

Misturar os ingredientes secos. Picar o chocolate num processador de alimentos. Adicionar o chocolate picado aos ingredientes secos. Juntar o agave, o abacate esmagado, os ovos e o óleo de coco até estar uma mistura homogénea. (No meu caso, foi tudo à bimby ate estar numa mistura homogénea).

Colocar o preparado na forma e levar ao forno cerca de 18-20m

Deixar arrefecer, cortar e servir.

Tentar não comer todo de seguida!!! :D


NOTAS: 

1) A minha chávena de medida, em todas as receitas, é sempre de 240ml (podem ver qual é, na receita da nutella aqui);

2) Podem tentar usar outros frutos secos reduzidos a farinha, em substituição destes que indico, mas não sei qual será o resultado final. Na minha opinião, a avelã e a amêndoa têm um sabor pouco intenso, pelo que não interferem com o que se pretende destacar na receita - o chocolate;

3) Para mim, há um equilíbrio perfeito entre o amargo do chocolate e o doce do agave, mas pode não ser ao vosso gosto. Aconselho a que, antes de colocarem a mistura na forma e levar ao forno, a provem, para ver se necessita de ser mais adoçada;

3) E por fim, podem substituir a geleia de agave, por mel ou geleia de arroz, ou até mesmo por tâmaras, previamente demolhadas, mas o resultado final será sempre ligeiramente diferente deste.

Espero que gostem, tanto quanto eu gostei! :)

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Pão de Abóbora com Sementes

Adoro pão… desde sempre. Sempre fui "pãozeira" e quem me tirava o meu pãozinho de manhã, tirava-me tudo!

No entanto, desde que comecei a adquirir hábitos mais saudáveis, facilmente troquei o pão branco pelo de centeio integral.

Contudo, por indicação médica (tenho uma tiroidite auto-imune) fui aconselhada a deixar de consumir glúten, por interferir nos processos inflamatórios do organismo (com exceção, da aveia que, apesar de poder ter glúten por contaminação cruzada com outros cereais, pelo perfil nutricional da mesma, era benéfico mantê-la).

Como se sabe, deixar de consumir glúten não é, propriamente, fácil. E confesso, nem sempre consigo, embora tente, ao máximo, seguir esta premissa.

A massa integral foi substituída pela massa sem glúten ou por massa de arroz, mas não são propriamente baratas. E os produtos com trigo, centeio e cevada foram à vida… pelo menos, na minha casa.  

O pão tem sido a minha verdadeira luta. Achar um pão decente que satisfaça o meu gosto pessoal, não tem sido tarefa fácil.

Já fiz vários, ora com farinhas sem glúten (já preparadas) ou com farinha de linhaça ou com farinha de arroz e alfarroba (este mais parecia um bolo!), mas as farinhas preparadas estão carregadas de amidos e os outros não me satisfizeram totalmente – mas ainda vou dar outra oportunidade à linhaça (tenho uma receita a marinar)!

Por isso, de vez em quando, saia um pãozinho de centeio de manhã.

Mas o que é certo, é que desde que, retirei grande parte do glúten da alimentação, a minha tiroidite melhorou e, finalmente, consegui estabilizá-la J

Quando achei o pão de banana do blogue Sem Aditivos, fui a mulher mais feliz do mundo! E comecei a procurar outros pães que reunissem os mesmos critérios deste (sem glúten e com farinhas preparadas com gorduras boas – ou coco ou sementes ou frutos secos).

Assim, a tarefa tornou-se mais fácil e surge agora, o Pão de Abóbora com Sementes (mas tenho muitos mais para experimentar)!

Mas chega de conversa e passemos à ação J

Para a receita vão precisar apenas de: 1 chávena de farinha de amêndoa (usei amêndoa triturada até estar reduzida a farinha) + 1 cc mal cheia de bicarbonato de sódio ou de fermento + 1 CS de canela em pó + 1cc de erva-doce (opcional) + 1 pitada de sal + 3 ovos + 1/2 chávena de puré de abóbora (assei abóbora no forno e reduzi a puré) + 2 CS de geleia de agave + 1/4 de chávena de sementes (usei sésamo, girassol e de abóbora).

Pré-aquecer o forno a 180.º.

Misturar bem os ingredientes secos, com exceção das sementes. Juntar os líquidos e mexer bem até incorporar e estar uma mistura homogénea. Juntar as sementes e misturar até incorporar.

(Eu faço sempre batota, nesta parte. A bimby é que tem o trabalho por mim!)

Colocar numa forma de bolo inglês e levar ao forno durante cerca de 25-30m.

Deixar arrefecer e desenformar.


Usando a forma que vos indico, o pão fica baixinho (por isso, se usarem outra, esqueçam o formato de pão!), mas fica bastante denso, face aos ingredientes que o compõem, por isso, 2 fatias pequenas, saciam bastante – pelo menos, a mim.

Não se esqueçam que o pão é composto, praticamente, por frutos secos e sementes, por isso, nada de abusar!

Com requeijão e doce de abóbora (é como vou experimentar, a seguir) deve ir que é uma maravilha J

Espero que gostem! :)

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Organização #2

Hoje vou falar-vos da organização das refeições!

Por norma, aos domingos é o dia em que organizo (no papel) as refeições para a semana toda. 

Vejo o que tenho em casa, na dispensa e no frigorífico, para a generalidade do que quero fazer e faço a lista das refeições e das compras que ainda são necessárias fazer.

Ao domingo já se consegue ver quais vão ser as promoções nos supermercados (normalmente, vou mais ao pingo doce e ao lidl) e se precisar de algo que vá estar em promoção - ou à terça-feira ou à quinta-feira - espero por esse dia, e agendo as refeições que vão precisar desses ingredientes para depois de ir às compras.

Senão, à segunda-feira é dia de abastecer a casa para a semana (eventualmente, posso ir comprar mais alguma coisa noutros dias, se for necessário).

Felizmente, tenho a sorte (ou luxo) de trabalhar perto de casa (e dos meus pais) e de ter alguma maleabilidade de horários que outras pessoas não têm, o que me permite durante a semana, ir almoçar aos meus pais ou a casa e de ir, à hora de almoço ou mesmo até quando saio no final do dia, fazer as compras para casa.

Tenho uma lista (ou diário, como queiram chamar-lhe) onde registo as refeições TODAS que vou fazer naquela semana (consoante, vá ou não treinar), de forma a conseguir preparar, atempadamente, todas as refeições que vou consumir.

Não quer dizer que, se um dia me apetecer comer algo diferente daquilo que estava estipulado, não o faça, mas tento organizar-me desta forma.

De véspera (com excepção do jantar que faço no próprio dia), tento adiantar as refeições do dia seguinte e deixo tudo guardado no frigorífico, pronto para no dia seguinte, ser só terminar o pequeno-almoço, comer e guardar tudo na marmita e arrancar para o trabalho.

Como disse acima, tenho o privilegio de, durante a semana, ir quase sempre aos meus pais almoçar (ou se necessário, a casa), pelo que é uma refeição com que, usualmente, não me preocupo, porque também eles têm uma alimentação equilibrada.

Hoje, contudo, foi uma excepção.

Os meus pais tinham coisas para fazer durante o dia e tive de trazer o almoço também. Apesar de poder ir a casa almoçar, optei por trazer já feito e assim sempre pude ir dar uma volta e esticar as pernas à hora de almoço :)

A marmita do dia:


Pronta para enfrentar um dia de trabalho, depois de ir fazer crossfit às 07 da manhã! :)

Aproveito para agradecer à Cláudia do blogue The Healthy Fit Way por ter partilhado no facebook da página, as "miúdas do Crossfit" ehehe.

Hoje foi dia de conhecer a Bárbara :) Se estiverem interessados, vejam aqui!

terça-feira, 8 de abril de 2014

Empadão de bacalhau e espinafres com couve-flor

Faço o empadão, seja de carne ou de peixe, quase sempre da mesma forma... com couve-flor! O que vai variando são os recheios. Desta vez, fiz com bacalhau e espinafres!

Para a receita vão precisar apenas de: 1 couve-flor média + leite + 1 cebola + 3 dentes de alho + azeite + 2 postas de bacalhau desfiadas + 1 pacote de espinafres frescos + 1 gema + sal, alho em pó, pimenta e noz-moscada, a gosto - serve 2 (comilões).

Cozer a couve-flor durante uns 15 m. Depois de cozida, escorrer muito bem a água da cozedura, temperar com sal, alho em pó e noz-moscada, a gosto e reduzir a puré com a varinha mágica (eu usei a bimby). Se necessário, juntar leite. Reservar.

Saltear a cebola às rodelas e os dentes de alhos picados com o azeite até a cebola estar translúcida. Juntar o bacalhau e deixar cozinhar. Temperar a gosto. Misturar os espinafres até murcharem. Rectificar os temperos.

Depois é só fazerem camadas num pirex: puré de couve-flor, bacalhau com espinafres e, novamente, puré de couve-flor. 

Pincelem com gema de ovo batida e levem ao forno a 180º durante cerca de 20-30m (até estar tostado).

O resultado:


Eu acompanhei com uma saladinha de pepino, tomate cherry, cenoura e beterraba ralada! :)

Pudim de chia, cacau e morangos (update à receita original)

Ontem lembrei-me de fazer pudim de chia e cacau, para o pequeno-almoço de hoje, mas pensei em juntar-lhe fruta para ver qual o efeito.

E foi melhor a emenda que o soneto! O resultado foi um pudim com uma textura muito mais cremosa e saborosa, pela mistura do sabor dos morangos com o cacau.

Se quiserem ver a receita original está aqui.

Para a receita vão precisar apenas de: 1 chávena de leite de amêndoa (podem usar outro) + 3 CS de chia + 1 CS de cacau cru (mal cheia) + 1 cc de mel ou geleia de agave + punhado de morangos congelados (usei 7 pequenos) - serve 1.

(Se quiserem podem substituir a fruta por outra do vosso agrado. Ainda esta semana vou experimentar com banana e canela :) É só usarem os vossos ingredientes favoritos!)

De véspera, coloquem todos os ingredientes num processador de alimentos e triturem até os morangos estarem dissolvidos, coloquem num frasco e reservem no frigorífico.

Na hora seguinte, vão agitando bem o frasco - por 2 ou 3 vezes - para a chia hidratar convenientemente e não ficar colada :)

De manhã, tostem umas sementes (usei sesamo, girassol e abóbora) na frigideira. 

Coloquem o preparado da chia num taça (ou comam directamente do frasco como eu), juntem-lhes as sementes tostadas e coco ralado por cima!!!


Adorei o resultado!!! :D É quase como comer uma sobremesa de manhã :) E é um pequeno-almoço bem fresco para estes dias quentes que se avizinham!

Experimentem e digam de vossa justiça! :)

domingo, 6 de abril de 2014

Leite de amêndoa

Conforme dá para ir percebendo pelo meu blogue, cada vez mais opto por fazer em casa, produtos que, normalmente, compraria já feitos. Embora nunca vos tivesse mostrado, o leite vegetal é um deles! 

Já fiz várias versões (aveia, arroz e amêndoa), mas a que mais gosto é a do leite de amêndoa :) 

Não fica barato (se bem que o leite vegetal de compra, também não é, propriamente, barato), porque é sabido que os frutos secos são caros, mas sei que é o mais natural possível, com o sabor que gosto e sem açucares adicionados.

Ontem enquanto o pão de banana cozia, aproveitei para fazer o leite e registar todos os passos, para vos mostrar o quão simples é.

À semelhança da manteiga de oleaginosas que vos mostrei aqui, também o leite é bastante fácil de fazer e as medidas sempre iguais, é só substituírem as amêndoas pelo ingrediente que mais vos agradar (se bem que a aveia tem tendência a engrossar mais um pouco!).

Para a receita vão precisar apenas de: 1 chávena de amêndoas peladas + 4 chávenas de água + especiarias a gosto.

De véspera, deixem as amêndoas de molho em água, até tapar - cerca de 08 horas.

No dia seguinte, descartem essa água e coloquem num processador de alimentos, as amêndoas, a água fresca indicada e as especiarias e triturem até estar tudo devidamente incorporado (para quem usa bimby - 45s, vel. 9).

O aspecto que tem depois de triturado
De seguida, coloquem um passador ou um pano fino num jarro e coem o leite acabado de fazer. Vão ter de mexer e de comprimir com uma colher, de vez em quando, a pasta de amêndoa que se vai acumulando no passador, por forma a retirarem a mesma e permitir que o leite passe pelo passador.

Pronta a coar o leite
Depois de coarem o leite todo, reservem a pasta de amêndoa que sobrou. Podem usá-la para enriquecer outras receitas, bem como usá-la nas papas de aveia ou misturar nos iogurtes ou podem dar-lhe a utilização que eu vou dar... trufas! :) 

A pasta de amêndoas que sobra
De seguida, coem, novamente, o leite, desta feita para a garrafa que vão utilizar e repitam o procedimento anterior.

Pronta a coar, de novo
E voilá, temos leite de amêndoa caseiro :) 


Podem juntar-lhe algumas especiarias, tais como canela ou raspas de vagem de baunilha, para intensificar o sabor do leite, mas não incorpora tão bem, por isso não se assustem ;)

O leite aguenta cerca de 4 dias no frigorífico! Espero que gostem :)

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Pão de banana

Conforme já reparam, sou fã do Pão de Banana do Sem Aditivos :)

Ao pequeno-almoço ou é pão de banana com manteiga de amêndoa e banana com canela ou pão de banana com ovos estrelados ou mexidos ou é pão de banana com manteiga de avelã e cacau com morangos, enfim... a imaginação é o limite! Mas o pãozinho está quase sempre lá :D

Como tem sido frequente pedirem-me a receita, achei que deveria colocá-la aqui, de forma a que conseguissem de forma mais expedita aceder à mesma.

De qualquer forma, para aceder à receita original do Sem Aditivos é favor ir aqui! Aproveitem e espreitem outras receitas! Aquela tarte de maçã está-me no goto... enquanto não a fizer, não descanso :)

Assim sendo, para a receita vão precisar apenas: 4 CS de óleo de coco derretido (ou azeite) + 6 ovos + 2 cc de aroma de baunilha + 3 bananas médias + 50g de coco ralado + 3 CS de coco ralado para polvilhar + uma pitada de sal + 4 ou 5 nozes (opcional)

Primeiro, coloquem o forno a aquecer a 180.º

De seguida, juntem numa tijela grande o sal, os ovos e a baunilha. E depois, o óleo de coco e misturem bem.

Esmaguem as bananas com um garfo e juntem-nas mais o coco, ao preparado anterior. Misturem muito bem para incorporar e ficar uma massa homogénea.

(Confesso que nesta parte, faço batota! Eu coloco os ingredientes todos na bimby, dou uns toques no turbo, 1m, velocidade 4 e está feito!!!)

Coloquem numa forma de bolo inglês (se usarem uma forma muito grande o pão vai ficar muito baixinho), polvilhem com o restante coco ralado e levem ao forno, cerca de 60m.

Nos primeiros 30m tapem a forma com papel alumínio e depois retirem-no para tostar e cozer bem, sem queimar. 

E aqui temos o famoso pão de banana, bom, mas bom :)


E se ainda tinham dúvidas, sobre experimentar ou não a receita, espero que as fotografias vos incentivem a experimentar! :)

terça-feira, 1 de abril de 2014

A nutella e as manteigas de oleaginosas

Ontem foi-me sugerido pelo Jorge do blogue www.semaditivos.com que partilhasse convosco a receita que fiz, há relativamente pouco tempo, de manteiga de amêndoa, por, frequentemente, lhes pedirem a mesma.

Não me tinha lembrado de colocar aqui a receita, por ser relativamente simples e precisar apenas de um único ingrediente – amêndoas ou amendoins ou avelãs ou qualquer outro fruto seco – consoante o que pretendam, e muita paciência!

Aproveito o mote para fazer nutella saudável (manteiga de avelã com cacau cru) que já ando para fazer há imenso tempo, e assim, partilhar as várias etapas da receita convosco.

O processo é idêntico para todas as manteigas de oleaginosas - incluindo a manteiga de amêndoa, e é só substituírem as avelãs pelo fruto seco que mais vos aprouver.

Conforme disse acima, para a receita acima vão precisar apenas de 1 chávena de avelãs (ou outra oleaginosa que preferiram) e doses industriais de paciência! O processo demora, mas não falha :)


A medida a usar
Levem as avelãs (ou as amêndoas ou os amendoins) a tostar ao forno durante uns 10-15 minutos a uma temperatura de 180.º – tenham atenção que é só para tostar e não queimar - o calor ajuda a soltar mais facilmente o óleo das oleaginosas, para além de tornar a manteiga mais saborosa, mas se quiserem podem optar por saltar esta parte, embora eu não aconselhe.

Retirem as avelãs (ou as amêndoas ou os amendoins) do forno e deixem arrefecer um pouco, até lhes conseguirem retirar a pele (no caso das amêndoas, uso sempre sem pele).

Depois de retirarem a pele às avelãs coloquem-nas num processador de alimentos até reduzirem a farinha – é aqui que começa a paciência a funcionar!


A redução a farinha
Triturem (e triturem...) até as avelãs (ou as amêndoas ou os amendoins) começarem a libertar o seu próprio óleo – durante este processo convém pararem, de vez em quando, para não esforçar o motor do processador de alimentos e para fazer descer, com uma espátula, a manteiga que se vai acumulando nas laterais – até se formar a manteiga, no ponto que desejam.

Quem quiser fazer só a manteiga, termina aqui, sendo este o resultado:

Manteiga de avelã
Quem quiser, pode optar por juntar sal ou especiarias, como a canela, para intensificar o sabor da manteiga.

Neste caso, em concreto, eu optei por lhe juntar 1 colher de sopa de cacau cru em pó + 1 colher de sopa de geleia de agave (podem substituir por mel) + 1/4 de chávena de leite e triturei mais um pouco até incorporar tudo - se forem gulosos, podem colocar mais cacau cru, para ficar com um sabor mais intenso ;)


Nutella
E assim, se faz nutella saudável, para comer e abusar… com moderação, claro! eheheh :)

Acondicionada e pronta a consumir! :D
O que não coube no frasco, eu vi-me obrigada a comer!!! :) Podem imaginar o que vai ser o meu pequeno-almoço, certo?!?! :D