segunda-feira, 27 de outubro de 2014

O que não me pode faltar na dispensa e no frigorífico! :)

Há alimentos que nunca me podem faltar em casa e sem os quais já não sei viver! :) 

Já tinha publicado uma lista de compras aqui, mas as minhas compras evoluíram bastante desde aquele altura ;)

Deixei de beber, de todo, leite de vaca (na altura, ainda o fazia esporadicamente), entre outros alimentos, e passei a consumir outros que, à data, não entravam muito na minha alimentação, como as claras de ovo pasteurizadas. 

Esta é a lista do que não pode MESMO faltar na minha casa - óbvio que há outros alimentos que podem e devem incorporar a nossa alimentação! Para facilitar indico-vos o sítio onde adquiro alguns deles ;)

Na dispensa:
  • Flocos de aveia - compro no Lidl a € 0,69;
  • Atum ao natural - não sou esquisita e compro onde está mais barato, por norma aproveito as promoções e compro grandes quantidades, tendo em conta que tem uma data de validade grande;
  • Sardinha em lata - é raro comer, mas de vez em quando dá-me a vontade, por isso não pode faltar!;
  • Leguminosas em frasco (grão e feijão, de todos os tipos);
  • Lentilhas (prefiro as vermelhas) - compro no celeiro;
  • Quinoa - compro na Tremoceira do Barreiro avulso, tendo em conta que é onde encontro mais barato, cerca de € 11/Kg;
  • Chocolate com mais de 70% de cacau - quer no Lidl, quer no Aldi, encontram-se boas opção a um custo reduzido. No Aldi encontram chocolate com 85% de cacau da marca Moser Roth a € 1,49 e no Ldl encontram da marca J.D.Cross com 81% de cacau a € 1,59 - normalmente, são as minhas opções;
  • Cacau cru - compro no celeiro da marca Iswari, mas já se encontra da marca Valor no Pingo Doce e no Continente a um preço mais simpático;
  • Tomate em pedaços - compro no Pingo Doce, facilita-me imenso quando quero fazer estufados;
  • Arroz basmati;
  • Massa sem glúten - compro no Lidl a € 1,29;
  • Massa de arroz - compro no Jumbo na área de cozinha internacional;
  • Paparis de lentilhas - compro no Jumbo na área de cozinha internacional;
  • Granola caseira;
  • Limões;
  • Cebolas;
  • Alhos;
  • Batata-doce;
  • Sementes e frutos secos (linhaça, chia, abóbora, girassol, sesámo, papoila, goji, arandos, nozes e amêndoas) - também compro na Tremoceira do Barreiro avulso - no entanto, quando me emprestam o cartão do Recheio, vou abastecer-me dos frutos secos;
  • Óleo de coco - compro no Jumbo na área de cozinha internacional;
  • Azeite extra-virgem;
  • Vinagre de sidra;
  • Farinhas (aveia, polvilho doce, arroz e de grão-de-bico);
  • Sal marinho e especiarias (tenho um armário só para elas!).
No frigorífico/congelador:
  • Ovos;
  • Claras de ovo pasteurizadas - compro no celeiro, mas quem tem cartão da Mackro ou do Recheio encontra mais barato;
  • Iogurte grego ligeiro da Milbona - compro no Lidl, 1 Kg fica a € 2,49 - é o único grego que consumo;
  • Quark (ou queijo fresco batido) - compro no Lidl da marca Linessa, 500g custam € 0,99 - sei que também há no Aldi, mas não sei o preço deste;
  • Queijo fresco magro - gosto da marca Santiago (encontra-se em qualquer supermercado) e da marca Montiqueiro (só encontro no Lidl);
  • Salmão fumado;
  • Coentros e salsa, frescos;
  • Legumes frescos a gosto e consoante o que vou fazer na semana;
  • Salada (tomate, pepino e pimento vermelho) - há outras opções, mas estas são as minhas;
  • Fruta (as minhas preferidas, mamão, kiwi, abacaxi, maçã, manga, morangos e bananas - vou alternando, mas as bananas nunca falham);
  • Abacate;
  • Frutos vermelhos congelados / banana congelada às fatias;
  • Pão caseiro, congelado - desde que faço o de aveia e linhaça, normalmente, é o que tenho sempre no congelador;
  • Peito de frango e de peru;
  • Lombinhos de vitela;
  • Peixe (salmão, dourada, perca, robalo e filetes de pescada);
  • Camarão;
  • Hambúrgueres caseiros;
  • Legumes congelados:
    • Legumes para saltear;
    • Mistura chinesa;
    • Ervilhas;
    • Cenouras;
    • Espinafres;
    • Couves-de-bruxelas.
No essencial, é isto! É óbvio que compro e consumo outros alimentos, mas muitas das vezes só quando quero confeccionar algo, em específico. Estes para mim, são os essenciais para ter sempre em casa :)

Espero que vos dê uma ajuda!







quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Beringela recheada com atum, lentilhas, coentros e ovo

Hoje como tinha tempo decidi alterar a receita que, usualmente, faço. 

Já tinha pensado nesta combinação de sabores, mas nem sempre consigo ter tempo para colocar em prática as ideias que vou tendo!

Adorei o resultado final, mas com esta conjugação não podia correr mal... ainda por cima com um dos meus ingredientes favoritos... lentilhas <3

Quanto à receita, é muito similar à anterior, mudam apenas os ingredientes ;) Vamos a ela!

Ingredientes:
  • 1 beringela média/grande;
  • 1 cebola pequena;
  • 2 dentes de alho;
  • 1/2 lata de tomate em pedaços (390g) - uso as da marca pingo doce;
  • 2 latas de atum ao natural;
  • sal, alho em pó e pimenta 5 bagas;
  • 1 mão cheia de coentros picados;
  • 2 ovos M;
  • 1/4 chávena de lentilhas vermelhas - se usarem outras, têm de as demolhar previamente.
Serve 2.

Preparação:

Cozer as lentilhas e reservar.

Cortar longitudinalmente a beringela e escavar o seu interior com uma colher, até formar um género de barco.

Colocar um pouco de sal nas metades da beringela e levá-las ao forno a 180º até estarem assadas. Reservar.

Colocar num tacho, a cebola e os dentes de alho picados, o tomate, os temperos e deixar estufar. Se necessário, juntar um pouco de água.

Juntar o atum, os coentros, deixar cozinhar até os sabores estarem envolvidos e rectificar os temperos.

Envolver as lentilhas no preparado anterior.

Rechear a beringela com o atum e as lentilhas, abrir no centro do recheio um buraco e colocar o ovo com muitooooo jeitinho e levar ao forno a 180º até estar cozinhado.


Servir com uma salada a gosto e degustar! :)

Espero que gostem tanto, quanto eu gostei!




terça-feira, 21 de outubro de 2014

Sortuda ou dedicada?! :)

É frequente dizerem-me que sou uma sortuda... porque como muito e tenho dificuldade em aumentar de peso (entenda-se massa magra), porque sou magrinha e como bastante, porque quero aumentar o peso e há quem não consiga perder... as variações são várias, mas todas se resumem ao mesmo!

Mas eu considero que sou tudo menos sortuda.

Conforme já referi aqui tenho uma tiróidite auto-imune, o que me provoca hipotiroidismo. 

A doença em causa, a par de outros sintomas que agora não interessam à publicação (e que ainda são os piores, na minha perspectiva) faz com que o metabolismo seja muito lento e como tal, propicia ao aumento de peso.

Sintoma esse do qual sofri até há bem pouco tempo. Sim, porque quando se convive com essa doença por 15 anos, ter os valores controlados, nem há um ano, é muito pouco tempo.

No entanto, a mudança de estilo de vida que abracei para mim, tem contribuído em muito para a alteração do funcionamento do meu organismo e do controle da doença em causa.

Dizem que sou sortuda... mas eu considero-me dedicada, o que é uma realidade bem diferente!

Em 90% das vezes, as minhas opções alimentares são saudáveis, muito raramente como produtos processados, açúcar nem vê-lo, glúten muito menos, bebo imensa água ou chá, como de 2h a 3h, faço musculação 4x por semana (e não vou lá passear os pesos) :p e ando sempre, mas sempre de marmita atrás! 

E tudo isso influencia o nosso metabolismo. Se eu não tivesse mudado os meus hábitos alimentares e continuasse a comer conforme fazia, sem praticar exercício físico algum, estava no mesmo sítio (ou bem pior) onde comecei há 4 anos atrás... com 63Kg de pura massa gorda.

Efectivamente, há pessoas que foram abençoadas geneticamente, mas infelizmente esse não é o meu caso... se quero algo, tenho de lutar por isso!

Por isso, mentalizem-se que se querem alcançar alguma coisa na vida, têm de trabalhar para isso... têm de mudar os vossos hábitos alimentares e começar a praticar exercício (nem que sejam caminhadas, o que interessa é mexer)!

Nada nos cai do céu, mas quando lutamos pelo que queremos, a magia acontece :) 

Tarda, mas não falha! A consistência e a persistência é o caminho :)

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Panqueca de batata-doce, abóbora e canela

Adoro batata-doce e já por diversas vezes tentei fazer panquecas com ela, mas na frigideira nunca me saíram bem. Provavelmente nunca tinha acertado na proporção de sólidos e líquidos para a sua confecção ou era falta de jeito mesmo, mas eu não desisto de tentar :)

A primeira vez que fiz esta receita foi no forno, primeiramente por uma questão de comodidade, porque a fiz de véspera, bem como assim não me preocupei com o resultado que poderia sair se fossem feitas na frigideira eheh :)

O que é certo é que, ficaram com uma textura e sabor excepcional, pelo que hoje arrisquei a fazer as panquecas na frigideira e resultou bem.

O truque é fazer panquecas pequenas, de forma a que cozinhem mais facilmente, sem queimar e que consigamos virá-las mais facilmente. Mas para quem não quer arriscar, nada como fazer no forno! É garantido que não falha :)

Ingredientes:
  • 75g de batata-doce cozida;
  • 25g de farinha de aveia ou de flocos de aveia triturados;
  • 1 colher de sopa bem cheia de puré de abóbora;
  • 150ml de claras de ovo pasteurizadas ou 3 claras de ovo;
  • 1/2 colher de chá de fermento em pó;
  • Canela, a gosto.
Serve 2 ou 1, consoante as vossas necessidades.

Preparação:

Como sempre dificílima :p Colocar todos os ingredientes num processador de alimentos (vulgo, 1-2-3) e pulsar até estar uma mistura homogénea.

Com o lume no mínimo, deitar colheradas pequenas de massa numa frigideira anti-aderente ou de cerâmica (podem colocar um fio de óleo de coco ou de azeite e passar com papel de cozinha absorvente para retirar o excesso).

Quando a parte de cima das panquecas estiver a fazer bolhas e em baixo se começar a soltar (eu uso uma espátula para ver se já se solta da frigideira), está na altura de as virar e deixar cozinhar do outro lado, até estar ao vosso gosto.

Formar uma torre de panquecas, barrando-as entre camadas com manteiga de amêndoa e terminar com iogurte grego ligeiro e canela ou outro topping do vosso agrado.

Que combinação dos deuses!!!


Se não quiserem arriscar, podem colocar a massa numa forma redonda de silicone e levar ao forno a 180.º durante cerca de 10-15m ou até verem que está cozinhada. Simples!


Fica excelente, garanto-vos! :D

domingo, 12 de outubro de 2014

Creme de legumes com batata-doce

Com este tempo já apetece comida quentinha, por isso nada melhor do que um creme de legumes e batata-doce :)

Ingredientes:
  • 1 cebola pequena;
  • 1 cenoura;
  • 1/2 curgete grande;
  • 1 batata-doce grande;
  • 1/2 nabo;
  • 1/2 alho francês;
  • 1/2 abóbora (cerca de 300g);
  • sal;
  • água;
  • 1 colher de sopa de azeite;
  • 1 colher de sopa de coentros.

Preparação:

Colocar os legumes no copo da bimby e pulsar o turbo 2/3x para os cortar em juliana.

Juntar a água no copo até passar 2 dedos dos legumes, temperar e programar 20m/varoma/vel.1.

Colocar o azeite, os coentros (reservar alguns para polvilhar) e triturar progressivamente na vel. 3-5-7-9, durante 1 minuto para reduzir a creme.

Cozer à parte a pescada (ou na varoma, na altura de confeccionar a sopa - eu cozi outros legumes!). Juntar ao creme de legumes e polvilhar com coentros!


segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Pastéis de atum com grão-de-bico

A última vez que fiz os pastéis de atum com batata-doce, o Master Chef sugeriu-me no instagram que utilizasse grão-de-bico, em substituição da batata-doce.

Como esta é uma receita que faço frequentemente e, idealizei logo o resultado, aproveitei para experimentar a sugestão dada.

Como para mim, grão-de-bico é sinónimo de cominhos e caril, tive de os juntar à receita que, não é mais do que uma adaptação à primeira que indiquei.

Quem gosta de hummus, vai certamente adorar :)

A receita é dificílima, como sempre:

Ingredientes:
  • 120g de grão-de-bico cozido e escorrido;
  • 1 lata de atum ao natural (cerca de 85g, peso líquido) escorrida;
  • 1 ovo;
  • 1/2 cebola;
  • 1 mão cheia de coentros,
  • 1 pitada de sal, pimenta 5 bagas e pimentão doce;
  • 1 colher de café de cominhos e outra de garam massala ou caril
  • Sumo de limão q.b.
Preparação:

Pré-aquecer o forno a 180º.

Colocar num processador de alimentos (vulgo, 1-2-3), a cebola, os coentros e picar grosseiramente.

Juntar o resto dos ingredientes no processador, com excepção do sumo de limão e pulsar até estar uma mistura homogénea.

Colocar umas gotas de sumo de limão e envolver no preparado.

Com duas colheres de sopa formar os pastéis e colocá-los num tabuleiro de ir ao forno, forrado com papel vegetal.

Levar ao forno durante cerca de 20-30m até estarem tostados.

Servir com uma salada ou uns legumes salteados :)


Simples e bastante saborosos! :)


sábado, 4 de outubro de 2014

Arroz doce fit

Desde que me conheço como gente que a minha sobremesa favorita é arroz doce! :) 

Era frequente, se me apetecesse, depois do jantar ir para a cozinha e fazer esta iguaria... que de saudável não tinha muito (shame on me!). 

Durante muito tempo culpei a minha doença (para quem não sabe tenho uma tiróidite auto-imune que me provocou hipotiroidismo), mas foi este tipo de atitudes que contribuiu, e muito, para que aumentasse consideravelmente de peso. E como é lógico, a doença em si, não ajudou.

Depois de ter mudado de estilo de vida, percebi que há espaço e tempo para tudo. Mas que a substituição de certos ingredientes e os métodos de confecção fazem toda a diferença no impacto que a refeição tem no nosso organismo.

Nesta fase de aumento de massa magra, aumentei o consumo de hidratos de carbono, o que me permite facilmente, introduzir nas minhas refeições, o que mais gosto... como é o caso do arroz doce!

O que muda, obviamente, são os ingredientes, por forma a torná-lo saudável e ainda assim, saboroso :)

Ingredientes:
  • 35gr de arroz basmati cru (cerca de 1/4 de chávena);
  • 2/3 de chávena de água;
  • Raspa ou casca de 1 limão;
  • Pau de canela + canela para polvilhar;
  • 1 colher de café de stevia;
  • 1 scoop de whey de chocolate, mas baunilha deve ficar bem melhor :)

Preparação:

Lavar o arroz até a água sair limpa.

Colocar a água num tacho e levar ao lume até ferver.

Juntar todos os ingredientes, com excepção da whey, envolvendo-os bem, colocar o lume no mínimo e deixar cozer o arroz. 

Entretanto, dissolver a proteína em água até formar uma calda.

Quando o arroz estiver cozido, descartar o pau de canela e a casca do limão, juntar a calda de whey e envolver bem.

Colocar numa taça, polvilhar com canela, raspas de limão (ou na loucura, raspas de chocolate com mais de 70% de cacau) e servir na hora!


Este vai passar a ser o meu pequeno-almoço muitasssssss vezes! :D

Espero que gostem desta sugestão bem docinha!


NOTAS:

1) Podem usar outro arroz à vossa escolha, mas terão que adaptar as quantidades de água;

2) Não há substituto para a proteína.